Presidente Emérito faz reflexões sobre o futuro do País

 

 

Como parte da Sessão Solene de Posse dos Novos Membros, o Presidente Emérito da ANE apresentou a palestra “Brasileiros (as), Engenheiros (as) e as próximas décadas: Uma Reflexão”, onde abordou a importância da engenharia para o desenvolvimento do Brasil e defendeu a ocupação do interior do país e o crescimento da malha ferroviária e hidroviária como fundamentais para o crescimento do país.

De acordo com o Pesidente Emérito, a migração para o interior é um aspecto que precisa ser estimulado pelo governo por meio de políticas de desenvolvimento. “Somos um país com dimensões continentais, onde a maior parte da população está no litoral. É preciso estabelecer políticas para o desenvolvimento do interior; planejar o crescimento de cidades de forma a preservar o meio ambiente e garantir condições de vida para a população; adotar ações que reduzam o uso de recursos e a degradação ambiental. Garantir o crescimento do interior, com a construção de ferrovias, com a oferta de transporte barato, geração de emprego e renda”, afirmou Paulo Augusto Vivacqua, defensor das empresas estatais na exploração de recursos naturais.

Paulo Vivacqua destacou também a preocupação com as questões ambientais e a necessidade de formação de agentes de mudanças para transformar a realidade brasileira. “Soberania é a forma que um país tem para se defender das agressões externas de outra nação e levar avante uma agenda em benefício de seu povo”, disse, ressaltando que a independência é um requisito crucial para o desenvolvimento de um país.

Citando como exemplo, a China, Paulo Augusto Vivacqua mostrou de forma esclarecedora como as nações hegemônicas agem sobre as demais com o objetivo de exploração de mercado e de recursos naturais e mapeou a situação do Brasil neste cenário. O combate à corrupção e à crise política que o país enfrenta também foram analisados pelo engenheiro que se mostrou otimista em relação ao futuro.

Posse dos Novos Membros 2019