“País precisa investir em infraestrutura”

O engenheiro civil Bruno Contarini tem contribuído para colocar a engenharia brasileira entre as melhores do mundo. Fora do país participou de projetos como a Universidade de Constantine, o Centro Cívico de Argel, na Argélia, e a Editora Mondadori de Milão, na Itália. No Brasil, atuou na construção da Ponte Rio-Niterói, do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC), da Estação das Barcas Charitas, da Linha Amarela e da ampliação do Ministério das Relações Exteriores, entre outros projetos.

Graduado em Engenharia Civil pela Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil (atual UFRJ), com especialização em Arquitetura e cursos de extensão em pontes e grandes estruturas e portos de mar, rio e canais, Bruno Contarini é um nome de destaque na área de engenharia estrutural. Recebeu diversos títulos e homenagens e no final de 2014, foi agraciado com o 3° Prêmio Augusto Carlos de Vasconcelos, iniciativa da Abece e da T&A.

Sua carreira começou como engenheiro calculista da Stup (Sociedade Técnica de Utilização de Protensão). No final da década de 1950 foi para Brasília e conheceu o arquiteto Oscar Niemeyer, com quem trabalhou em diversos projetos. “Foram cerca de 40 obras. Niemeyer era um gênio do desenho. Criava formas lindas e de difícil execução, mas sempre dava um jeito”, diz o engenheiro, conhecido por encontrar soluções simples para os problemas que surgem. “Acredito que é importante ser objetivo.”

Na lista de projetos feitos em parceria com o arquiteto estão o Teatro e a Plataforma Rodoviária de Brasília, o Edifício da Universidade de Brasília (UnB), o Tribunal Superior de Justiça (STJ), o Supremo Tribunal Eleitoral (STE) e o Tribunal Regional Federal (TRF), além do MAC, entre outros.

Passou 18 anos trabalhando no exterior onde participou de projetos na França, Itália e Argélia. Durante uma década atuou como professor na PUC-Rio, atividade da qual se afastou por não ter feito mestrado. “O excesso de trabalho não permitiu”, conta.

O Acadêmico Bruno Contarini é também referência quando se fala em construção de pontes e viadutos. Além da Ponte Rio-Niterói, uma das maiores obras da engenharia nacional, também deixou sua marca nos projetos da ponte sobre o Rio Paraná, localizada na divisa entre os Estado de São Paulo e Mato Grosso, na ponte sobre o Rio Tocantins (MS) (Record Mundial), na ponte sobre o Rio Pelotas (RS) e outras.

Superintendente da BC Engenharia e Consultoria de empresas, Bruno Contarini diz que o Brasil dispõe de profissionais qualificados e precisa investir nos serviços de base para crescer. “Na última década nada foi feito. É preciso investir em infraestrutura, construção de estradas, melhoria de portos, construção de usinas para que possamos crescer”, afirma o especialista, ressaltando ainda que o país dispõe de profissionais competentes para realizar essas obras.

“Não precisa contratar ninguém de fora do país. Temos muita gente qualificada para fazer o serviço. O Brasil tem profissionais reconhecidos internacionalmente que podem fazer um ótimo trabalho. Basta ter vontade política para que isso ocorra”, avalia o Acadêmico Bruno Contarini.

Currículo (.pdf)