Posse: 1991

Cadeira: 131

Patrono: José Maria da Silva Paranhos

foto-antonio-o-santos

O empresário e Acadêmico Antonio Oliveira Santos é capixaba de Vitória, no Espírito Santo. Formado em Engenharia Civil e Elétrica pela antiga Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, hoje Escola Politécnica da UFRJ, Antonio Oliveira Santos começou sua carreira na Companhia Siderúrgica Nacional, em Volta Redonda. Ocupou o cargo de diretor da Cia. de Ferro e Aço de Vitória e de superintendente da Estrada de Ferro Vitória/Minas, da Vale do Rio Doce.

Em 1956, iniciou suas atividades no ramo do comércio atacadista e varejista de materiais de construção. Em 1968, assumiu a presidência da Federação do Comércio do Estado do Espírito Santo. Atualmente, acumula atividades comerciais nos setores avícola e agrícola com atividades sindicais. Desde 1980 preside a Confederação Nacional do Comércio (CNC), além dos Conselhos Nacionais do Serviço Social do Comércio (SESC) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC).

Foi professor titular de Física da Universidade Federal do Espírito Santo. Com uma história profissional ligada a instituições que têm grande atuação na formação de profissionais, Acadêmico Antonio Oliveira Santos acredita que somente com uma educação de qualidade o Brasil conseguirá se desenvolver.

Exerceu ainda os cargos de membro do Conselho Monetário Nacional, de diretor técnico da Excelsa – Central Elétricas do Espírito Santo – e membro do Conselho de Administração da Aracruz Celulose S. A., dentre outras atividades.

O engenheiro participou de missões ao exterior, integrando comitivas chefiadas pelos Presidentes da República à França, Japão, China, Alemanha, Portugal, entre outras. Representou a CNC em comitivas chefiadas por Ministros de Estados ao Oriente Médio, China e Argélia.

Ao longo da carreira recebeu diversos títulos e comendas, como o Grau de Comendador, da Presidência da República e do Tribunal Superior do Trabalho, ambos em 1981; a Medalha do Mérito do Comercial de Pernambuco, em 1983, de Brasília, em 1985, e do Amazonas, em 1995; o Diploma Mérito Mauá, do Ministério dos Transportes, em 2006; o Grande-Colar do Mérito do Tribunal de Contas da União, em 2008; e a Medalha ao Mérito Legislativo da Câmara dos Deputados, em 2015; entre outros.