Prosub: um programa para o país

Presidente Francis Bogossian visitou complexo de Itaguaí da Marinha do Brasil

 

Francis Bogossian e Edival Ponciano conheceram as instalações junto com representantes do Clube de Engenharia

 

O presidente da Academia Nacional de Engenharia (ANE), Francis Bogossian, e o diretor Edival Ponciano de Carvalho, junto com representantes do Clube de Engenharia, visitaram no dia 4 de julho as instalações do complexo em Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro, onde a Marinha do Brasil constrói submarinos convencionais e construirá o primeiro submarino nuclear do país. Entusiasmado com o que conheceu, o presidente Bogossian afirmou que o programa tem cunho nacional, não apenas militar, cujo objetivo é maior que o de independência tecnológica, mas de desenvolvimento social.

Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub)

Nascido com um acordo de transferência de tecnologia entre Brasil e França, em 2008, o programa viabilizará a produção de quatro submarinos convencionais, que se somarão à frota de cinco submarinos já existentes. E culminará na fabricação do primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear.

Além dos cinco submarinos, o PROSUB estabelece a construção de um complexo de infraestrutura naval, que engloba o Estaleiro e a Base Naval (EBN) e a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM), no município fluminense de Itaguaí

O programa prevê a construção de quatro submarinos da classe Riachuelo que serão lançados um a cada 18 meses até 2023. Para o submarino nuclear, a previsão é que esteja concluído em 2028. Trata-se de um grande e complexo projeto, que permitirá que a Marinha do Brasil proteja a chamada Amazônia Azul, suas riquezas, fauna e flora, assegurando a Soberania Nacional em todo o litoral brasileiro.

Submarino brasileiro será lançado ao mar em dezembro