Professor Renato Cotta recebe título Doutor Honoris Causa na França

 

A partir da esquerda: os professores Jacques Padet (URCA); Guillaume Gellé (reitor da URCA); Renato Cotta; Colette Padet (URCA)

 

O professor Renato Cotta, do Programa de Engenharia Mecânica da Coppe/UFRJ e membro da Academia Nacional de Engenharia (ANE), foi agraciado com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Reims Champagne-Ardenne (URCA), no dia 12 de outubro. A nomeação é um reconhecimento às contribuições do pesquisador à ciência e aos estudos de relevância que vem conduzindo ao longo de sua carreira. O título foi entregue na sede da Universidade, em Marne, na França. Cotta foi indicado a receber a honraria pelos professores Jacques e Colette Padet..

Membro honorário da Sociedade Francesa de Térmica, Renato Cotta foi professor visitante de URCA por três períodos, entre 2004 e 2008. Dessa colaboração foram publicados 25 trabalhos assinados pelo professor da Coppe com pesquisadores e professores do Laboratório de Termomecânica, unidade que agrega o Grupo de Pesquisa em Ciências da Engenharia (GRESPI, na sigla em francês).

Membro honorário da Sociedade Francesa de Térmica, Renato Cotta foi professor visitante de URCA por três períodos, entre 2004 e 2008. Dessa colaboração foram publicados 25 trabalhos assinados pelo professor da Coppe com pesquisadores e professores do Laboratório de Termomecânica, unidade que agrega o Grupo de Pesquisa em Ciências da Engenharia (GRESPI, na sigla em francês).

Na Coppe, Renato Cotta está à frente de inúmeras pesquisas de ponta e coordenou o desenvolvimento do primeiro túnel de vento climático do Hemisfério Sul, inaugurado na Coppe em 2014, que testa componentes aeronáuticos em condições climáticas extremas de voo. Sob sua coordenação, neste túnel vem sendo testada uma técnica de revestimento para impedir o congelamento do Pitot de uma aeronave, principal causa da queda do avião da Air France, em 2009, que vitimou 228 pessoas.

Um dos mais importantes instrumentos de segurança de uma aeronave, o Pitot, que fica na parte externa do avião, é um sensor que capta informações externas do avião, como temperatura e velocidade. Para evitar que fique sujeito a congelamento devido a baixas temperaturas, pesquisadores da Coppe desenvolveram um revestimento com película hidrofóbica, que impede a “fixação” da água sobre o Pitot, eliminando assim a possibilidade de formação de gelo.

Sobre a Universidade de Reims Champagne-Ardenne

Sucessora da Universidade de Reims (criada em 1548 e fechada 1793), a Universidade de Reims Champagne-Ardenne foi criada em 1971, a partir das faculdades e institutos responsáveis pelos cursos de Ciências, Literatura, Direito e Ciências econômicas, Tecnologia, Medicina e Farmácia e Cirurgia Dentária.

Atualmente é composta por oito Unidades de Formação e Pesquisa (UFR´s), além de institutos e escolas, e concentra sua expertise tecnológica em quatro polos pluridisciplinares: de ciências agrárias, meio-ambiente, biotecnologia e bioeconomia; de saúde; de ciências numéricas e da engenharia; de ciências humanas e sociais.

Renato Cotta: um colecionador de títulos

Doutor em Mecânica e Engenharia Aeroespacial pela North Carolina State University (EUA – 1985), Renato Cotta concluiu sua graduação em Engenharia Mecânica na UFRJ, em 1981. Ingressou como docente no Programa de Engenharia Mecânica da Coppe/UFRJ em 1987.

Até o momento já orientou 35 teses de doutorado e 41 dissertações de mestrado. Publicou 198 artigos em periódicos nacionais e internacionais e tem 278 trabalhos completos publicados em anais de congressos. É autor ou coautor de dez livros.

Membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC), o professor já foi contemplado com mais de 30 premiações. Este ano, Cotta foi promovido à Classe Grã-Cruz na Ordem Nacional do Mérito Científico, na categoria Ciência da Engenharia. Renato Cotta foi admitido na Ordem do Mérito, em 2007, na categoria Comendador.

Na Coppe, Renato Cotta está à frente de inúmeras pesquisas de ponta e coordenou o desenvolvimento do primeiro túnel de vento climático do Hemisfério Sul, inaugurado na Coppe em 2014, que testa componentes aeronáuticos em condições climáticas extremas de voo. Sob sua coordenação, neste túnel vem sendo testada uma técnica de revestimento para impedir o congelamento do Pitot de uma aeronave, principal causa da queda do avião da Air France, em 2009, que vitimou 228 pessoas.

 

Fonte: Planeta Coppe