Instituto planeja financiar mais de 100 projetos de pesquisa

 

 

zanotto
Acadêmico diz que edital deve beneficiar cerca de 140 projetos

Na última semana a pesquisa voltou a ter destaque no cenário nacional com a inauguração do primeiro instituto privado de apoio à ciência do Brasil: o Serrapilheira. O instituto, dirigido pelo geneticista francês Hugo Aguilaniu, tem o objetivo de apoiar projetos nas áreas da Engenharia, Matemática, Ciências Físicas e Ciências da Vida.

As normas para participar da seleção de apoio devem ser definidas no final de abril e a previsão é de que o edital seja divulgado no segundo semestre. A expectativa é financiar cerca de 140 projetos, que receberão, cada, R$100 mil pelo período de um ano. O recurso poderá ser usado pelo pesquisador da forma que achar mais adequada – contratação de outros pesquisadores e bolsistas, compra de equipamentos, etc.

“A ideia é que ao final desse prazo os pesquisadores apresentem o resultado de suas pesquisas para um grupo de convidados, para o conselho científico e para os diretores executivos. Os dez-quinze mais inovadores e que apresentem um claro potencial de levarem a descobertas relevantes poderão receber financiamento adicional de aproximadamente R$ 1 milhão, em três anos, para concluir o projeto”, explica o pesquisador Edgar Dutra Zanotto, presidente do Conselho Científico e membro titular da ANE.

Mas o Serrapilheira não deve ater suas ações apenas ao financiamento de pesquisas. Apoiar a divulgação científica e o letramento científico, para mudar a percepção que os brasileiros têm da ciência no país, está entre as grandes metas do instituto. “Essa é uma proposta que será avaliada pelo conselho administrativo. A ideia é criar uma cultura de ciência no Brasil. Estimular os jovens à pesquisa, mostrar que ciência é algo legal”, explica o Acadêmico Edgar Zanotto, ressaltando ainda que instituto também pretende contribuir para o desenvolvimento do país por meio do apoio a pesquisas com temas voltados para a solução de grandes problemas nacionais. Todas essas ideias ainda estão sendo analisadas.

Para o Acadêmico, a criação do Serrapilheira é um marco histórico para a ciência no país. “Este é o primeiro instituto privado que financiará as ciências naturais, a matemática e a engenharia, e reforçará a importância da ciência para o desenvolvimento do país. Quem sabe outros não se entusiasmam com a ideia e decidem também investir na ciência” torce Edgar Zanotto.

O Serrapilheira

Inaugurado no dia 22 de março, com sede no Rio de Janeiro, o Instituto Serrapilheira é uma associação sem fins lucrativos, criado por iniciativa do casal João e Branca Moreira Salles que doou R$ 350 milhões a um fundo patrimonial.  Os rendimentos financiarão as pesquisas e projetos.