A Academia Nacional de Engenharia (ANE) realizou, no dia 26 de novembro de 2015, a Sessão Solene de Posse dos novos acadêmicos.  A cerimônia, realizada no Arsenal da Marinha, reuniu cerca de 150 pessoas, entre acadêmicos, amigos e familiares. Agora, fazem parte do seleto grupo de membros titulares os engenheiros: Domingos Manfredi Naveiro, Eugenio Foresti, Francisco Rodrigues Andriolo, Geraldo Carvalho Brito Júnior, Hélio Ricardo Teles de Azevedo, Ivan Vicente Janvrot Miranda, Márcio Alves de Almeida Cardoso, Marcos Henrique de Castro Oliveira, Mario Fernando de Melo Santos, Mário Luiz Menel da Cunha, Mauricio Renato Pina Moreira, Nelson Martins, Nicolau Pires Lages, Paulo Roberto Krahe, Paulo Tadeu de Mello Lourenção e Renato Moraes de Jesus e, como membros correspondentes: Ricardo Alberto Matos Oliveira e Shankar Prashad Bhattacharyya.
A solenidade começou com o cortejo Acadêmico. Em seguida, formaram a mesa para recepcionar os novos membros, o almirante Mario Ferreira Botelho, o presidente da ANE, Paulo Augusto Vivacqua, o vice-presidente da ANE, Francis Bogossian,o diretor secretário da ANE,  Alberto Sayão, e o diretor de protocolo e cerimonial da ANE, Flavio Miguez de Mello.
O Presidente da ANE,  Vivacqua abriu a Sessão Solene,  destacando que os os novos acadêmicos têm a responsabilidade de pensar os grandes problemas de engenharia, que influenciam a vida e o destino do país e como exemplo ressaltou as questões do transporte, do uso dos recursos naturais e a necessidade de investir no desenvolvimento de pesquisa e ciência.
"Estes são alguns exemplos, dentre tantos outros, que apresentamos como ilustração da natureza das questões de alto interesse para o país, diretamente relacionadas com a engenharia. E cujo trato ainda é agravado por dificuldades próprias desta fase em que a humanidade passou a influir significativamente sobre o estado do planeta, como se denota na poluição de terras e águas, na erosão, extinção de espécies, destruição de ecossistemas inteiros, no aquecimento global, e nos extremos climáticos", disse, destacando também o papel da Academia para o desenvolvimento do país.
"?? responsabilidade da Academia Nacional de Engenharia levantar essas questões, trazê-las à atenção da sociedade, e apresentar soluções. E mantê-las vivas, até que o tecnicamente necessário se torne politicamente possível. São questões de natureza, onde, nas nações avançadas, encontramos, no centro da cena, suas academias de engenharia, fornecendo recomendações e soluções", afirmou Vivacqua.
O acadêmico Domingos Manfredi Naveiro proferiu a saudação dos novos membros.  Em seguida, o Almirante Mario Ferreira Botelho saudou os novos acadêmicos e o presidente Vivacqua encerrou a cerimônia, convidando todos para o coquetel de boas vindas.
O ingresso -O ingresso na Academia é feito por eleição, culminando um rigoroso processo de avaliação, "Fazer parte desse grupo é considerado uma elevada e singular distinção, que é concedida acompanhada de uma oportunidade de prestação de relevantes serviços ao país", lembrou Paulo Vivacqua.
 
Os novos Acadêmicos:
Domingos Manfredi - Graduado em Engenharia Mecânica pela UERJ, mestre e doutor em Engenharia de Produção. Foi diretor do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, órgão vinculado do Ministério da Ciência e Tecnologia. Atuou em setores de pesquisa e desenvolvimento de empresas de grande porte.
 
Eugênio Foresti " Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, mestre e doutor em Engenharia Hidráulica e Saneamento. Professor titular da EESC.  Recebeu a condecoração de Comendadores da Ordem Nacional do Mérito Científico, publicou diversos trabalhos e recebeu prêmios e homenagens ao longo de sua carreira.
 
Francisco Rodrigues Andriolo - Graduado em Engenharia Civil " Estruturas pela Escola de Engenharia de São Carlos (USP). Diretor Presidente da Andriolo Engenharia Ltda. Especialista em Materiais e Concretos e no Planejamento da Construção de Obras; Acompanhou a realização de ensaios em vários países (Estados Unidos, Canadá, México, Panamá, Portugal, Espanha, Itália, Bélgica, Inglaterra, Angola, Jordânia, Iran, Turquia, Arábia Saudita, Colômbia, Peru e Argentina).
Geraldo Carvalho Brito Júnior " Graduado em Engenharia Elétrica, mestre e doutor em Engenharia Mecânica. ?? engenheiro sênior da Itaipu Binacional e professor assistente nos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campus de Foz do Iguaçu, Paraná (Unioeste).
 
Hélio Ricardo Teles de Azevedo - Graduado em Engenharia Mecânica. Mestre na mesma área.Trabalhou durante mais de duas décadas no Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel) e tem diversos trabalhos publicados. Foi Coordenador de Programas de Pesquisas; Gerência de Grandes Projetos de Pesquisas; Membro de Grupos de Trabalho: CIGR??, ABNT, GCOI; Mais de 30 trabalhos publicados. De 1987 a 1988 Estagiou no "Laboratoire de Mécanique Appliquée", em Besançon, França.
 
Ivan Vicente Janvrot Miranda - Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Militar de Engenharia (ITA), com experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em Ensaios Não Destrutivos. Trabalhou no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguêz de Mello.
 
Márcio Alves de Almeida Cardoso " Engenheiro Químico pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFJR), mestre em Engenharia Química (MSc) pela University of Houston - Texas " USA, extensão em Engenharia Industrial pela UFRJ. Consultor em projetos nas áreas de tecnologia, gestão de projetos e meio ambiente.
 
Marcos Henrique de Castro Oliveira " Graduado em Engenharia Química e Química Industrial pela UFRJ, com especialização em Caepe pela Escola Superior de Guerra (ESG) e em Refinação de Petróleo pela UFRJ. Direção e administração, Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos-BioManguinho/FioCruz.
 
Mario Fernando de Melo Santos " Engenheiro Eletricista pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atuou como Diretor de Operação de Sistemas da Eletrobrás, foi presidente interino da Empresa, como também da Eletronorte. No Ministério de Minas e Energia foi Coordenador Nacional de Abastecimento do Departamento Nacional de Combustíveis (SNE/MINFRA). Participou dos Conselhos de Administração de grandes companhias do Setor Elétrico (Eletrobrás / Chesf / Eletrosul / Eletronorte / Celpe e Saelpa).
 
Mario Luiz Menel da Cunha " Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com pós-graduação em Sistemas Elétricos de Potência.  ?? diretor de Energia do Departamento de Infraestrutura da Federação das Indústrias de São Paulo (Deinfra-SP) e tem diversos trabalhos publicados.
 
Maurício Renato Piná Moreira " Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mestre e doutor em Engenharia Civil. ?? professor Adjunto da UFPE e da Universidade Católica de Pernambuco. Atua principalmente nos seguintes temas: transportes urbanos, trânsito, mobilidade urbana, pavimentação e logística de transportes.
 
Nelson Martins " Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (UnB), mestre e doutor de Engenharia Elétrica pela Universidade de Manchester. Atualmente é assistente do diretor geral do Cepel Eletrobras (Centro de Pesquisas de Energia Elétrica). Foi o idealizador do software PacDyn, para análise da estabilidade a pequenas perturbações de sistemas elétricos de grande porte e utilizado no Brasil e exterior.
 
Nicolau Pires Lages " Engenheiro Químico pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Membro do Conselho de Tecnologia da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e Vice-Presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina (Abifina).
Paulo Roberto Krahe " Engenheiro Mecânico Doutor pela Sheffield University. Atualmente é pesquisador do Centro de Documentação e Informação. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Teoria da Informação.
 
Paulo Tadeu de Mello Lourenção - Doutor em Ciências Aeroespaciais pelo INPE/ (DLR - Alemanha), com graduação e Mestrado em Engenharia Aeronáutica pelo ITA MBA em Gestão do Conhecimento, Tecnologia e Inovação pela USP. Atualmente é Coordenador Técnico do Programa de Especialização em Engenharia da Embraer, atuando no recrutamento e seleção de novos engenheiros, e na gestão das atividades acadêmicas do Programa.
Renato Moraes de Jesus " Engenheiro Florestal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Doutor em Ecologia Florestal pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é gerente geral de Biodiversidade da Companhia Vale do Rio Doce. Atua principalmente nos seguintes temas: Manejo Florestal, Distúrbios, Sustentabilidade, Economia Florestal.
 
Ricardo Alberto Matos Oliveira - Presidente do Conselho Científico do Grupo COBA, Consultores de Engenharia e Ambiente; Foi Presidente do Grupo COBA até setembro de 2011 e Consultor Internacional nas áreas das Barragens e Obras Subterrâneas.  Professor TitularAposentado do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Nova de Lisboa; Doutor em Geologia de Engenharia e Investigador Coordenador em Geotecnia pelo LNEC; Doutor Honoris Causa pela Universidade Complutense de Madrid.
 
Shankar Prashad Bhattacharyya " Graduado em Engenharia Elétrica na Texas A&M University (EUA). Recebeu o título de Bacharel em Tecnologiapelo IIT Bombay (India), em 1967, e de MS e Ph.D. em Engenharia Elétrica pela Rice University (EUA), em 1969 e 1971 respectivamente. Trabalhou no Brasil entre 1971 e 1980, como professor da COPPE/UFRJ, onde estabeleceu o primeiro Programa de Doutorado em Sistemas de Controle do Brasil. Também foi chefe do Departamento de Engenharia Elétrica da COPPE/UFRJ de 1978 a 1980. Foi eleito IEEE Fellow em 1989, IFAC Fellow em 2011 e Membro Correspondente da Academia Brasileira de Ciências, em 2012.
 
 
   O ingresso na Academia é feito por eleição, culminando um rigoroso processo de avaliação, "Fazer parte desse grupo é considerado uma elevada e singular distinção, que é concedida acompanhada de uma oportunidade de prestação de relevantes serviços ao país", lembrou Paulo Vivacqua.
O ingresso na Academia é feito por eleição, culminando um rigoroso processo de avaliação, "Fazer parte desse grupo é considerado uma elevada e singular distinção, que é concedida acompanhada de uma oportunidade de prestação de relevantes serviços ao país", lembrou Paulo Vivacqua.
Em seu discurso, o Presidente da ANE, o engenheiro Paulo Vivacqua destacou que os novos acadêmicos têm a responsabilidade de pensar os grandes problemas de engenharia, que influenciam a vida e o destino do país e ressaltou questões como transporte, recursos naturais e a necessidade de investir no desenvolvimento de pesquisa e ciência.
O ingresso na Academia é feito por eleição, culminando um rigoroso processo de avaliação, "Fazer parte desse grupo é considerado uma elevada e singular distinção, que é concedida acompanhada de uma oportunidade de prestação de relevantes serviços ao país", lembrou Paulo Vivacqua.