alberto-sayao

 

“Os governos deveriam investir mais para evitar os desastres ambientais”

 

Graduado em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), e doutor em Engenharia Geotécnica pela University Of British Columbia (UBC), Canadá, o engenheiro Acadêmico Alberto Sayão é especialista em engenharia geotécnica, com ênfase nas áreas de barragens, aterros e encostas.

Professor de Engenharia Geotécnica da PUC-Rio, orientou dezenas de teses de mestrado e doutorado, publica intensamente artigos na mídia e trabalhos em revistas e congressos técnicos e científicos, tendo sido convidado para proferir quase 200 palestras e minicursos no Brasil e no exterior. É autor dos livros “História da Engenharia Geotécnica no Brasil” (ABMS, 2010), “Handbook of Slope Stabilization” (Editora Springer, Alemanha, 2004) e “Manual de Encostas” (Geo-Rio, 1999).

Além de atuar na formação de engenheiros e pesquisadores, o Acadêmico Alberto Sayão tem intensa participação em instituições de engenharia. Foi Presidente da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS), Secretário Geral da ANE, e conselheiro eleito do Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB) e conselheiro vitalício da ABMS.

Tendo iniciado a carreira acadêmica como professor da PUC-Rio, em 1980, o Acadêmico Alberto Sayão foi, dois anos depois, aceito para cursar o doutorado no Imperial College, na Inglaterra, e na UBC (University of British Columbia), no Canadá, com uma bolsa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Retornou depois, à UBC, de 2000 a 2001, como professor convidado do departamento de engenharia civil.

Preocupado com as questões ambientais, o Acadêmico Alberto Sayão tem organizado eventos e palestras para debater a ação do governo, que ele diz ser fundamental para minimizar acidentes nas áreas de encostas e mineração. “É preciso que o governo atue para reduzir os desastres ambientais. Muitos acidentes poderiam ser evitados com menos impunidade e mais planejamento e pesquisa na área ambiental”, garante o Acadêmico, que destaca também a questão do “Potencial Hidrelétrico” como tema de grande relevância na atualidade.

Natural do Rio de Janeiro, o Acadêmico Alberto Sayão descobriu a engenharia por acaso. A escolha profissional foi motivada pelo fascínio que sentiu ao atravessar, na década de 60, o recém-inaugurado Túnel Rebouças. “O fato ficou registrado na minha memória e foi decisivo para a opção pela carreira de engenheiro civil”, lembra o Acadêmico Alberto Sayão, que vê arte na ciência exata da engenharia. “É a arte de tomar decisões, a despeito das dúvidas, como dizia o professor Victor de Mello. ”

Currículo (.pdf)