acher-mosse

Teoria e prática presentes na formação profissional

 

 

Unir o conhecimento teórico ao prático é o caminho para oferecer uma formação qualificada aos profissionais de engenharia na visão do Engenheiro Mecânico, o Acad. Acher Mossé.  Formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), em 1963, Acad. Acher Mossé atuou como professor da COPPE-UFRJ, onde criou e coordenou a COPPETEC-UFRJ em 1970.  “Como coordenador da COPPETEC tive a oportunidade de participar de projetos junto a empresas e ao governo. Essa oportunidade enriqueceu meu conhecimento e minhas aulas.  Muitas vezes, o professor tem conhecimento acadêmico, mas carece de informações da prática industrial.  A carreira acadêmica está baseada em ter títulos, com isso a atividade do professor fica restrita à própria universidade.  É preciso manter contato com o mundo exterior. Essa vivência possibilita fazer uma ponte entre a engenharia e o currículo”, defende o Acad. Mossé.

A carreira do engenheiro começou na Companhia Siderúrgica Nacional, onde ficou por sete meses.  Deixou a empresa e foi para os Estados Unidos, onde fez mestrado e doutorado na Universidade de Houston, em Houston, Texas.

O professor atuou como diretor técnico no Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), do Grupo Eletrobrás, um dos melhores da América do Sul, onde permaneceu por 21 anos.

Após se aposentar pelo Cepel, o Acad. Acher Mossé trabalhou como diretor executivo para a América Latina do Eletric Power Research Instituto (EPRI), empresa com sede nos Estados Unidos e presente em mais de 40 países.  Atualmente é consultor executivo da empresa.

Especialista em Engenharia Elétrica, Acad. Mossé diz que o Brasil tem tecnologia de ponta em algumas áreas e defende a pesquisa colaborativa.  “O contato entre empresas é rico porque propicia a troca de informações e percebemos que os problemas são parecidos com soluções que podem ser semelhantes.  Todos saem ganhando”, afirma o Acad. Mossé.

 

Currículo (.pdf)