abraham-alcaim

 

Engenharia e arte caminhando lado a lado

 

 

Engenharia e arte caminham juntas na vida do Acad. Abraham Alcaim. Ph.D em engenharia elétrica pelo Imperial College of Science and Technology, University of London, professor titular (aposentado) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio),  o Acad. Abraham Alcaim divide seu tempo entre orientações de teses de doutorado e a pintura a óleo ou acrílico sobre  tela e papel – estilo abstrato.

Graduado em engenharia elétrica pela PUC-Rio, onde fez também o mestrado na área de processamento de voz, o engenheiro trabalhou como cientista visitante do Centro Científico Rio da IBM Brasil e do Centre National d’Études des Télécommunications (CNET – França).  Foi assessor técnico científico da Faperj  e consultor da Capes. Como professor da PUC-Rio criou a cadeira de processamento de imagens. Publicou artigos científicos nessa área e em processamento de voz, e é co-autor dos livros “Fundamentos do Processamento de Sinais de Voz e Imagem” e “Princípios de Comunicações”.

Com mais de 30 anos de experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Processamento de Voz e Imagem, o professor lembra que nos últimos anos, o reconhecimento de voz tornou-se mais comum no nosso dia a dia, embora muita gente não dê conta disso. De acordo com o engenheiro, os softwares de reconhecimento de voz melhoraram bastante e têm tido aplicações diversas.

“Hoje, o reconhecimento de voz está presente em call centers, celulares, vídeo games e aparelhos de televisão. O reconhecimento de voz e de locutor tem objetivos diversos. Atualmente o último já é utilizado em aplicação forense para identificar pessoas através da voz”, diz o Acad.Abraham Alcaim.

Por outro lado, a dedicação à arte plástica é recente. No início de 2013, o Acad. Abraham fez um curso de Pintura a Óleo sobre Tela e passou a destinar parte do seu tempo ao novo hobby que aos poucos ficou mais sério. O artista plástico já expôs em várias galerias virtuais e na Mostra PUC-Rio, entre outros.

“Sempre gostei de arte e hoje, consigo me dedicar as minhas áreas de interesse: a engenheira e a pintura. Uma não exclui a outra. Acho que todo ser humano pode e deve ter múltiplos interesses”, conclui.

 

 

Currículo (.pdf)