Fernando Luiz Lobo Barbosa Carneiro (Membro Fundador)

Posse: 1991
Falecimento: 2001
Cadeira: 12
Patrono: Emílio Baugarten

Engenheiro especializado em estruturas, Fernando Lobo Carneiro foi pesquisador do Instituto Nacional de Tecnologia (INT) durante 33 anos. Um de seus trabalhos mais importantes é o ensaio que virou referência internacional na determinação da resistência dos concretos à tração dos ventos. Também desenvolveu um método de dosagem experimental de concretos, além de participar de construções como a do edifício da Faculdade de Arquitetura da UFRJ.

Sua produção acadêmica foi reconhecida e requisitada no exterior. Foi representante do INT no Comitê da International Organization for Standardization (ISO) e na União Internacional dos Laboratórios de Ensaios e Pesquisas sobre Estruturas e Materiais (RILEM). Atuou, ainda, como delegado brasileiro do Comitê Europeu do Concreto. Como professor da UFRJ, coordenou o contrato de cooperação entre a Universidade e a Petrobrás. É doutor honoris causa pela UFRJ, membro de honra da RILEM e pesquisador emérito do INT.

Também recebeu os prêmios Bernardo Houssay, da Organização dos Estados Americanos (OEA) e Álvaro Alberto, concedido pelo CNPq. Carneiro nasceu em Minas Gerais, em 1913, e morreu no dia 15 de novembro de 2001.

Fernando Venâncio Filho

Posse:
Falecimento: 2012

————————————————————————————–

Flávio Henrique Lyra Silva

Posse: 1991
Falecimento: 2003
Cadeira: 38
Patrono: Carlos César de Oliveira Sampaio

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1915. Formou-se em Engenharia Civil pela Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, em 1936. Concluiu sua pós-graduação em 1944, no Califórnia Institute of Technology – Caltec. Trabalhou como engenheiro na Empresa de Construção Civil Lyra da Silva Engenharia, e nas Oficinas Gerais da Aviação Naval do Ministério da Marinha, em 1937.

No mesmo ano, foi professor-assistente de Hidráulica, passando a professor-adjunto da disciplina de Aproveitamento de Energia Hidráulica, na Escola Politécnica da Universidade do Brasil, função que exerceu até aposentar-se. Além de membro da Junta de Consultores organizada pelo Banco Mundial e pelo Ministério de Recursos Hídricos e Energia Elétrica na China, e membro da Junta de Consultores para as usinas do rio Limay e Collon Curá, na Argentina.

Flávio Henrique Lyra também foi presidente do Comitê Brasileiro de Barragens – CBDB entre 24 de janeiro de 1962 a 17 de dezembro de 1976, representando o Brasil em várias reuniões internacionais, e foi vice-presidente, presidente e presidente de honra da Comissão Internacional de Grandes Barragens de 1964 a 1980. Também foi chefe da equipe de consultores que assessorou a Centrais Elétricas do Pará S.A. – Celpa; e presidente da Junta de Consultores Internacionais durante o projeto e a execução da Usina Itaipu Binacional.

Suas principais atividades de gestão foram na Cemig, atual Companhia Energética de Minas Gerais, atuando como diretor de 1951 a 1957; e na Central Elétrica de Furnas S.A., atual Furnas Centrais Elétricas S.A., onde foi fundador, diretor técnico e vice-presidente, no período de 1957 a 1974.

Fernando Olavo Franciss

Posse: 1991
Falecimento: 2022
Cadeira: 155
Patrono: Manuel Mendes da Rocha

Docteur Ingénieur pela Universidade de Grenoble em 1.970, o engenheiro civil Fernando Olavo Franciss, formado em 1.958 pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), licenciou-se em Geologia Aplicada pelo Laboratoire de Géologie de l ‘Université de Grenoble em 1.960, depois de concluir sua extensão universitária em Mecânica dos Solos.

Fernando Franciss iniciou sua carreira profissional com estagiário da Sondotécnica tendo exercido o cargo de Diretor de 1.980 a 1.991. Atualmente é sócio administrador da Progeo – Consultoria de Engenharia Ltda. Foi professor da PUC-Rio de 1.964 a 1.980, sendo um dos pioneiros dos seus cursos de pós-graduação. Escreveu livros técnicos sobre hidráulica de meios permeáveis, túneis em rochas brandas e hidráulica de rochas fraturadas, respectivamente, todos publicados pela CRC Press do Taylor & Francis Group.

Reconhecido há mais de 40 anos como especialista em geologia e geotécnica aplicada a obras civis e mineração, Fernando Franciss defende a necessidade urgente de fazer gestão de riscos no Brasil.

Segundo Franciss, as práticas de gestão de riscos em organizações de grande porte permaneceram limitadas e confinadas em apenas algumas das suas áreas operacionais sem as expandir por todos os seus estamentos gerenciais nem integrar todas as informações sobre riscos com o propósito específico de subsidiar decisões táticas e estratégicas. Contudo, no decorrer das duas últimas décadas, pressionadas pela ocorrência de riscos financeiros residuais inesperados cada vez mais graves, a alta direção das grandes corporações passou a considerar a gestão integrada de seus riscos tão importante quanto a gestão individualizada dos seus riscos operacionais e tão prioritária quanto suas demais atribuições.

– Além disso, a Gestão de Riscos é muito rentável, pois seus custos são largamente ultrapassados pelos ganhos financeiros decorrentes da sua aplicação em qualquer área – destaca o especialista.