Paulo Alcântara Gomes

Posse: 1991
Cadeira: 110
Patrono: João Cordeiro da Graça Filho

Ao longo de sua carreira, o Engenheiro Civil Paulo Alcântara Gomes dividiu seu tempo entre a Engenharia, a docência e a gestão. Atividades que desempenhou paralelamente durante alguns anos. A vivência no mundo acadêmico foi tão grande que o engenheiro tornou-se também referência na área de Educação, tendo recebido diversas homenagens no setor.

Licenciado em Física, graduado em Engenharia Civil (1967) pela Escola Nacional de Engenheira, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre em Ciências e doutor em Ciências em Engenharia Civil, na área de Estruturas, o Acadêmico Paulo Alcântara Gomes iniciou a vida profissional como professor de Matemática na Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia (COPPE). Diretor da COPPE, entre 1978 e 1981, foi sub-reitor de Ensino para Graduados e Pesquisa e reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

“Com essas experiências, passei a ter uma visão mais global da universidade”, diz o Acadêmico Paulo Gomes, que defende mudanças no ensino da Engenharia. “O processo de ensino se modificou e precisamos estimular as habilidades e competências, direcionar o aluno para usar conceitos de forma integrada, mas o Brasil resiste a esse novo modelo”, lamenta o professor, que afirma que as alterações devem ocorrer não apenas no ensino superior, mas em todos os segmentos. “Mudar a educação como um todo exige coragem”, diz de forma assertiva.

Na área de Engenharia, o Acadêmico Paulo Gomes realizou estágios de pesquisa e de desenvolvimento tecnológico no Laboratório Nacional de Engenharia Civil- Serviço de Estruturas, em Lisboa, Portugal e no Centro Internacional de Ciências Mecânicas (Udine, Itália), publicou cerca de 100 trabalhos e capítulos em livros e realizou aproximadamente 350 conferências, no Brasil e no exterior, nos domínios da Teoria da Elasticidade, da Dinâmica de Estruturas, da Teoria das Placas e Cascas e da Utilização de Métodos Numéricos e Computacionais na Análise de Estruturas e, mais recentemente, nos temas relacionados com o Planejamento da Educação Superior, com a Gestão da Tecnologia e da Inovação e a com a Educação Tecnológica e Profissional. Orientou teses de Mestrado e de Doutorado.

Exerceu as funções de membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Brasil (CNPq), do Conselho Deliberativo da Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Ensino Superior (CAPES), do Conselho Federal de Educação (hoje Conselho Nacional de Educação) e da Comissão de Ensino de Engenharia do Ministério da Educação do Brasil. Foi presidente do Fórum de Reitores do Estado do Rio de Janeiro, do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) e do Conselho Deliberativo do Sebrae/RJ.

Recebeu diversas condecorações e prêmios. No âmbito internacional, foi membro do Conselho Superior do Projeto Columbus, vinculado ao Conselho de Reitores das Universidades Europeias; foi primeiro presidente do Colégio das Américas, fundado em 2002, no Canadá, e do Capítulo Brasileiro International Association of University Presidents  (IAUP). Foi, por quatro anos, membro do Conselho Deliberativo do Instituto de Estudos Avançados da Universidade das Nações Unidas (IAS-UNU), localizado em Yokohama, no Japão. É membro da Academia Nacional de Engenharia (ANE), onde foi também presidente, da Academia Brasileira de Educação e da Academia de Engenharia de Portugal.

Atualmente é Presidente da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro e pró-reitor de Engenharia, Inovação e Tecnologia da Universidade Candido Mendes (UCAM). Também é o Vice-Presidente da Academia Pan-Americana de Engenharia.