Antônio Alves de Noronha

Atual Ocupante: André Fabio Kohn
Posse: 2014

Antônio Alves de Noronha nasceu em Teresina, em 16 de setembro de 1904. Filho de Joaquim Antônio de Noronha (Quincas Noronha) e de Amélia Costa de Noronha. Formado pela Escola Politécnica da Universidade do Rio de Janeiro, o Dr. Antônio Alves de Noronha conseguiu seu primeiro emprego aos 23 anos, em 1927, sendo responsável pelo projeto de toda a estrutura de concreto do prédio da sede da Companhia Mecânica Importadora de São Paulo, que foi considerada a maior obra de concreto da época. Daí surgia um grande calculista e uma das maiores autoridades no Brasil na área de concreto armado.

Fundou a Noronha Engenharia S.A em 1932. Seu herdeiro, Antônio Alves de Noronha Filho, assumiu a empresa que adquiriu o status de grande consultoria de engenharia, com o nome Antônio A. Noronha – Serviços de Engenharia. A neta, engenheira Moema Pará Noronha, começou a presidir a empresa, que ampliou o leque de serviços oferecidos, passando a atuar também nos segmentos de hidrologia, irrigação, saneamento, energia, plantas industriais e metrôs, então já sob o nome de Noronha Engenharia S.A.

Construiu a ponte sobre o Rio Parnaíba, que o governo do Piauí denominou de Ponte Engenheiro Antônio Noronha. Construiu a cúpula do Hotel Quitandinha, em Petrópolis. Integrou a equipe que construiu o Estádio Mário Filho (Maracanã). Desenvolveu o projeto da ponte Ernesto Dornelles, no Rio das Antas – com vão livre de 186 m, 287,7 m de extensão e 46 m de altura, então a maior obra do gênero na América Latina. Esta obra é considerada ainda hoje uma obra indutora do progresso na região e um ícone da engenharia brasileira. Projetou a construção do Arsenal da Marinha, na Ilha das Cobras. Foi consultor técnico e um dos projetistas da construção da ponte internacional da Foz do Iguaçu. O seu escritório trabalhou no projeto da Ponte Rio-Niterói. Foi professor catedrático da Faculdade Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, da Escola Politécnica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e do Instituto de Engenharia do Exército. Foi o primeiro presidente do Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB) – outubro de 1961 a início de 1962. Teve como secretário o engenheiro Lúcio Washington.

Homem muito culto, o Dr. Antônio Alves de Noronha publicou: Fundações Comuns do Concreto Armado, 1932; Métodos dos Pontos Fixos; As Pontes em Quadro de Aço e de Concreto Armado; Curso de Estabilidade das Construções e Curso de Pontes e Grandes Estruturas. Ele recebeu inúmeras homenagens, como a Medalha da Ordem do Mérito Militar (Rio de Janeiro). O governador do Rio propôs mudar o nome do Viaduto de Laranjeiras para Engenheiro Noronha.

Fonte da consulta: http://krudu.blogspot.com/2015/02/engenheiro-antonio-alves-de-noronha.html

View Courses